Praça Dino Barbieri

MARCÍLIO GAZZINELLI
MARCÍLIO GAZZINELLI
MARCÍLIO GAZZINELLI

O edifício da Igreja dedicada a São Francisco de Assis se implanta em península larga, em meio a um grande jardim projetado por Burle Marx, dividido em duas glebas por uma rua tangente à sua fachada. A gleba onde se encontra a igreja recebe vegetação de menor porte, de modo a emoldurar a igreja e propor o lago, enquanto a outra gleba, hoje denominada Praça Dino Barbieri, se apresenta como um grande parque, com 107 espécies de vegetação, entre árvores (fícus, quaresmeiras, mangueiras, dentre outras), arbustos e forrações. Esta praça sofreu mais alterações em relação ao projeto original, o qual nunca chegou a ser executado em plenitude.

Devido à forte atração turística exercida pela Pampulha, notadamente a região da Igreja, ali foram criados alguns estabelecimentos de suporte tais como um restaurante que privatizou o espaço durante muitos anos. Fotografias antigas mostram a ocupação da praça pelo restaurante Mangueiras, com a construção da edificação circular ainda existente e a supressão total dos canteiros. Permaneceram apenas as árvores maiores e as mangueiras. Após a remoção e demolição do restaurante Mangueiras, na década de 1990, foi executado projeto de reforma pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. Apenas a edificação circular foi reaproveitada para instalação de lanchonete para os usuários da praça. Face à candidatura do Conjunto Moderno da Pampulha a Patrimônio Cultural da Humanidade, a diretriz a ser implementada para o local é a reabilitação da praça, demolindo-se a construção aí existente e buscando-se um desenho que contemple a concepção de Burle Marx, readequando-a à realidade existente.

Espaços - Conjunto Moderno da Pampulha

MARCÍLIO GAZZINELLI

Museu de Arte da Pampulha

Casa do Baile 

MARCÍLIO GAZZINELLI

Casa Kubitschek

RAFAEL TEIXEIRA
DIVULGAÇÃO

Praça Dino Barbieri

Praça Dalva Simão

DIVULGAÇÃO